Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O meu cancro


Domingo, 26.03.17

MAIS UMA BOA NOTÍCIA

Esta semana fui a mais uma consulta de acompanhamento. Os resultados dos vários exames que entretanto fiz - os normais indicados pelo protocolo (não sei se é assim que se diz) e outos feitos em resultado de queixas que apresentei na anterior consulta -, foram todos satisfatórios, o que levou a Médica a informar-me que a próxima consulta será a última com periodicidade de seis meses, passando as seguintes a serem anuais. 

Não tendo ficado surpreendido, porque como já aqui tenho escrito, sempre senti que o meu cancro se foi com os 25 cm de intestino que me foram cortados, esta informação médica, quatro ano depois da intervenção cirúrgica, deixou-me mais descansado. 

Desejo a todos os que estejam a passar por situação semelhante, de luta contra o cancro, que tenham o mesmo sucesso que eu tive.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 22:11

Segunda-feira, 06.03.17

NOVO TESTE SANGUÍNEO CONSEGUE IDENTIFICAR LOCALIZAÇÃO EXATA DO CANCRO

Um novo teste sanguíneo capaz de apontar o local do corpo onde cresce um cancro, permitindo combatê-lo de forma precoce, é o resultado de um estudo de cientistas da Universidade de San Diego, nos Estados Unidos.

Os cientistas responsáveis pelo estudo procurarão agora levar as suas conclusões para o plano clínico, trabalhando com oncologistas para apurar e refinar este método.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Oncologia, o cancro é a principal causa de morte em Portugal para quem tem menos de 65 anos. Quase um terço (31,7%) dos portugueses que morrem antes dos 65 anos são vítimas de um tumor - a percentagem mais elevada entre todas as causas de morte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 21:36

Quinta-feira, 23.02.17

MAIS CASOS DE CANCRO DO CÓLON DEVIDO AO ABANDONO DA DIETA MEDITERRÂNICA

Há mais portugueses com cancro. Segundo os dados do Registo Oncológico Regional do Sul (ROR-Sul). O cancro com maior incidência é o da mama, seguem-se os da próstata e o do cólon - este último foi o que registou a maior subida por causa dos hábitos alimentares. 

O cancro do cólon passou a ser o terceiro com maior incidência na zona sul do país. Entrevistada pela Renascença, a directora do Registo Oncológico Regional do Sul explica que o aumento do cancro no cólon está ligado à mudança dos hábitos alimentares.

“Nós passámos, na década de 80, 90, de uma dieta marcadamente mediterrânica, para uma dieta de alimentos processado, mais alimentos com gorduras animais, mais consumo de mais carne e menos peixe, consumo de menos vegetais e menos frutas frescas”, descreve Ana Miranda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 12:58

Segunda-feira, 06.02.17

Há quatro anos que iniciei "O meu cancro"

Com a criação deste blogue - a que decidi chamar cruamente "o meu cancro" - não pretendo mais do que transmitir pensamentos, reflexões e algumas informações sobre o (meu) cancro, procurando fazê-lo de forma descomplexada, desdramatizada, naturalmente.

E tal como o cancro que me atacou, também este blogue aparece sem estar previsto... Já tinha muito com que me entreter...

Foi com estas palavras que terminei o texto de apresentação deste blogue.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 23:40

Terça-feira, 24.01.17

JÁ PASSARAM QUATRO ANOS

sobre o dia em que “fui submetido a uma intervenção cirúrgica, que me cortou um bocado do cólon que continha um cancro (neoplasia), sob a forma de tumor.

E ainda por cá ando… Parece que o mal foi cortado pela raiz. Pelo menos, os exames que faço regularmente nada têm detectado...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 22:00

Terça-feira, 24.01.17

“CONVERSANDO...” SOBRE COMO “PREVENIR O CANCRO” NAS NEVES

111020131818-24-CANCRODOESTOMAGO.jpg

A iniciativa da Junta de Freguesia de Nossa Senhora das Neves, concelho de Beja, com o nome “Conversando...” sugere para o dia de hoje, o tema “Prevenir o cancro”.

A partir das 14.30 horas, na Casa do Povo de Nossa Senhora das Neves, os profissionais do Centro de Saúde de Beja explicam o que se deve saber e o que se deve fazer para prevenir o cancro.

A organização desta iniciativa é da responsabilidade da Unidade de Cuidados Continuados, do Centro de Saúde de Beja, da Junta de Freguesia e da Casa do Povo de Nossa Senhora das Neves e do Projeto “Mais Saúde”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 00:21

Sábado, 14.01.17

SOBRINHO SIMÕES ALERTA PARA SOBREDIAGNÓSTICO DE CANCROS MUITO PEQUENOS

1102078.jpg

O patologista Sobrinho Simões alertou hoje que se diagnosticam demasiados cancros que se deviam "deixar sossegados", colocando os doentes num ciclo de tratamentos sem benefícios reais, ressalvando que continua a ser essencial o rastreio precoce.
Falando à agência Lusa à margem de uma palestra promovida pelo International Club de Portugal, Manuel Sobrinho Simões afirmou que "a maluqueira quer de doentes quer de alguns médicos é que está a dar mau resultado", sobretudo nos cancros da tiróide, mama e próstata, "de longe os que têm mais sobrediagnóstico".
"Estamos a fazer diagnósticos de cancros muito pequeninos, que não iam dar chatices" porque não conseguiriam desenvolver-se no tempo de vida restante das pessoas, a maior parte delas idosas, salientou. 
Colocando-as no ciclo de tratamentos como a radiologia, os médicos estão, nesses casos, a "desgraçar os doentes", considerou, defendendo que cabe aos médicos serem razoáveis quando as pessoas os procuram para ir numa "caça ao cancro".
Ler todo o artigo AQUI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 15:08

Quarta-feira, 11.01.17

A IMPORTÂNCIA DE TER UMA UNIDADE DE ONCOLOGIA PERTO

Sempre que encontro pessoas que, tal como eu, foram ou são utentes da Unidade de Oncologia do Hospital de Beja, elas referem a importância de serem tratadas ou assistidas perto do local onde residem e a qualidade do serviço ali prestado. É uma opinião generalizada com que concordo em absoluto, tendo em conta a minha experiência pessoal. 

Daí que é sempre com muita preocupação que ouço ou leio notícias ou comentários acerca do eventual encerramento ou degradação dos serviços prestados naquela Unidade. Tendo em conta as características e a envolvente familiar e social das doenças oncológicas, é fácil perceber que é dos serviços hospitalares que mais importa manter.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 21:54

Domingo, 25.12.16

“MULHERES COMO NÓS” LANÇA CALENDÁRIO SOLIDÁRIO

211220161004-226-mulharescomons.jpg

O Calendário Solidário de 2017 “Mulheres como Nós” foi apresentado publicamente, no Cineteatro Camacho Costa, em Odemira.

Trata-se de um projecto que tem como principal objectivo angariar fundos para a Associação Missão Coragem e, desta forma, ajudar Mulheres com cancro da mama.
“Mulheres como Nós” surge da vontade e do desejo de um grupo de Mulheres em ajudar a Associação Missão Coragem, tendo todas elas histórias de coragem, força e superação, e que quiseram dar o seu contributo ajudando outras Mulheres na luta contra o cancro da mama que, apesar de terem passado, ou ainda estarem a passar, por um processo de tratamento doloroso, não deixaram de ser Mulheres como todas as outras.
O projecto “Mulheres como Nós” é composto, nesta primeira fase, pela apresentação de um calendário para 2017 e numa segunda fase pela realização de uma exposição.
A Missão Coragem é uma associação sem fins lucrativos, com sede em Santiago do Cacém, constituída em 2008, que tem por objectivo ajudar todas as mulheres do Litoral Alentejano com cancro da mama.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 22:38

Quinta-feira, 22.12.16

"MEDICAMENTOS PARA DOR ONCOLÓGICA PASSAM A TER 90% DE COMPARTICIPAÇÃO"

Os medicamentos para o tratamento da dor oncológica, moderada a forte, vão passar a ter 90% de comparticipação, graças a um regime excecional de comparticipação, publicado hoje em Diário da República.

De acordo com a portaria, é criado um regime excecional de comparticipação nos medicamentos destinados ao tratamento da dor oncológica moderada a forte, que, até agora, estavam incluídos no escalão C do regime geral de ambulatório e tinham uma comparticipação de 37%.

Em causa estão analgésicos estupefacientes, nomeadamente os medicamentos opioides, como Buprenorfina, Fentanilo, Hidromorfa, Tapentadol, Morfina, Oxicodona e Oxicodona+Naxolona, quando receitados para o tratamento da dor oncológica moderada a forte.

No documento está também estabelecido que para o doente ter acesso a esta comparticipação, o médico que prescreve tem de mencionar expressamente a portaria na receita.

A portaria entra em vigor no início de janeiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 23:17


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031


Links

Informativos

Informativos