Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O meu cancro



Domingo, 21.07.13

Desabafo, se calhar, injusto...

De facto, o cancro é uma doença social. Porque não afecta apenas o doente mas também os que com ele se relacionam.

Nem sempre esse relacionamento é fácil, principalmente, durante a fase da quimioterpia, por causa dos efeitos desta.

No meu caso particular, sinto que algumas pessoas que me são próximas têm dificuldade em perceber o que se passa comigo e, em consequência, de lidar comigo. Por vezes, sinto necessidade de explicar o que se está a passar, que me condiciona e altera o meu comportamento. Nalguns casos e alguma vezes, arrependo-me de o fazer porque me parece que algumas pessoas acham que me estou a vitimizar ou a tentar aproveitar da situação, para me esquivar a fazer algumas coisas. Talvez o facto de durante todo o tratamento ter levado uma vida, mais ou menos, normal, tendo apenas faltado ao trabalho nos dias em que tenho tratamento, contribua para isso...

Nem sempre é fácil conviver com essas incompreensões e pouca disponibilidade para perceberem melhor e aceitarem o que nos condiciona e altera o nosso comportamento e a necessidade de maior compreensão e aceitação da nossa condição.

Sei os problemas e as dificuldades que a  minha situação que lhes causa, mas não fui eu que pedi para ter um cancro, para fazer quimioterapia e para esta me alterar o comportamento e condicionar a vida...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 01:05


2 comentários

De Paula a 09.08.2013 às 02:00

A minha mãe perdeu recentemente a luta com o cancro. Bem tentou, mas acabou por perder. Leio o seu texto, e dou-lhe a razão no que diz, esta é uma doença social. Mas no nosso caso, era ao contrário, sempre achei que era dela o direito a queixar-se, afinal, eu só tinha de tratar de burocracias, consultas, tratamentos para agendar. Ela sentia-se triste pelo "trabalho" que me dava, o transtorno, quando para mim, se esse fosse o meu destino por muitos anos, não teria qualquer problema. Durou dois anos. Apenas para lhe dizer que vão sempre haver pessoas que não compreendem, as mesmas que, quando sabem do diagnóstico cancro perguntam "mas é grave?", como se existissem cancros positivos, não perigosos. Não se prenda a isso, vá passando as etapas dos tratamentos, não falhe uma consulta, rotina ou não, análises, tudo. A quimio é horrível, vi de perto como reduz uma pessoa e lhe retira a dignidade, mas quando sai do sistema, as pessoas recuperam o brilho que tinham antes. Boa sorte.

De Zé LG a 09.08.2013 às 23:08

Lamento a perda da sua mãe.
Finalmente, hoje terminei o tratamento. Espero que seja de vez... Tenho sido um paciente cumpridor. Tenho feito o que me têm dito para fazer.
Considero-me, no meio deste turbilhão em que vi metido, um sortudo, apesar de tudo, porque parece que fui operado a tempo, que o tratamento acabou por não me afectar tanto quanto poderia ter afectado, aguentei-me.
Sinto que dobrei este "cabo das tormentas".
Obrigado, pelo incentivo!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Links

Informativos

Informativos