Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O meu cancro


Quarta-feira, 20.02.19

LigaPCCancro promove ação de prevenção do HPV na D. Manuel em Beja

201902191442349377.jpg

A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LigaPCCancro) está a fazer uma ação itinerante sobre a prevenção do HPV (Papilomavirus Humano) em 30 escolas do país. Esta ação, com o nome “HPV e Quê?” é realizada, hoje, na Escola Secundária D. Manuel I de Beja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 00:12

Sexta-feira, 25.01.19

O CANCRO NEM SEMPRE É UMA CONSEQUÊNCIA DO ESTILO DE VIDA

Não escolhe sexos, nem idades, nem estratos sociais. Mas também não escolhe pessoas com base no seu estilo de vida. Um estudo publicado em 2017 nos Estados Unidos revela que a maioria dos casos de cancro é provocada por erros genéticos e não tanto pelo estilo de vida.

"Na maioria das vezes, estas mutações são inofensivas, (...) mas ocasionalmente ocorrem em genes que desencadeiam o cancro. E isso chama-se azar ou má sorte", disse.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 15:10

Domingo, 08.04.18

NOITE DE FADOS APOIA UM DIA PELA VIDA

29594783_1501922306585641_6112417537914829689_n.jp

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 21:00

Quinta-feira, 08.06.17

COM CANCRO EM FASE TERMINAL E MESES DE VIDA... SUBIU AO TOPO DO MONTE EVERESTE

DAQqmzbW0AELF9X.jpgIan Toothill, de 47 anos, foi diagnosticado com cancro no intestino em junho de 2015. Ainda entrou em remissão no ano seguinte, tendo-lhe mesmo sido comunicado que tinha conseguido "vencer" a doença. No entanto, um novo diagnóstico derrotou a esperança, sendo informado que a sua doença não só tinha reaparecido como estava agora numa fase terminal.

O diagnóstico em 2016 trouxe tudo menos boas notícias. Foi-lhe dito que tinha apenas “alguns meses de vida”. Mas Toothill recusou-se a 'entregar os pontos'. Em fevereiro, em entrevista a uma rádio da BBC em Sheffield, disse estar “determinado a provar que tudo era possível”. E meteu-se ao caminho.

Treinador pessoal escalou os Himalaias no passado e decidiu agora cumprir um dos itens da “sua lista de desejos”: chegar ao topo do Monte Evereste. A escalada tinha começado 16 de maio e, esta segunda-feira, dia 5 de junho, alcançou o cume. Tal como tinha planeado e sonhado. Revelou precisamente aquilo que tinha vontade de mostrar na entrevista: determinação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 16:58

Quarta-feira, 05.04.17

‘A MINHA REVOLUÇÃO ANTICANCRO’

Quando uma médica supera o cancro, o resultado é este

naom_58dedb99b00a8.jpg

Chama-se Odile Fernández, tem 39 anos e é uma sobrevivente. Depois de lhe ter sido diagnosticado um tumor no ovário, esta médica especialista em Medicina Familiar e Comunitária superou o terrível diagnóstico que recebeu há seis anos e agora ajuda pacientes e anónimos a enfrentarem o cancro sem medo e com otimismo.

“Há seis anos deram-me uma notícia terrível: tinha cancro do ovário e este tinha-se espalhado pelo meu corpo. A esperança de vida era muito limitada, tinha um filho de três anos e eu tinha acabado de fazer 32. O meu mundo desmoronava-se. Todos os meus sonhos, todas as minhas expetativas ficaram em stand by. Tinha um medo atroz de morrer, medo de sofrer, medo de que o meu filho ficasse órfão”.

É desta forma que a médica de família espanhola Odile se apresenta no livro da sua autoria que sai hoje para as bancas.

‘A Minha Revolução Anticancro’ é um guia de autoajuda no qual a médica natural de Granada, em Espanha, conta como superou um tumor no ovário com metástases.

O cancro transformou-me e ensinou-me a viver. Aprendi a nutrir o meu corpo e a minha mente

Mas este livro é mais do que uma história. É uma espécie de diário no qual é possível colorir desenhos, desenhar e até riscar. E mais. Odile partilha com os leitores receitas de pratos saudáveis, exercícios de ioga e relaxamento, conselhos para doentes com cancro, frases motivadoras para doentes com cancro e até testemunhos de pessoas que já adotaram esta forma de viver e superar a doença.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 21:52

Domingo, 26.03.17

MAIS UMA BOA NOTÍCIA

Esta semana fui a mais uma consulta de acompanhamento. Os resultados dos vários exames que entretanto fiz - os normais indicados pelo protocolo (não sei se é assim que se diz) e outos feitos em resultado de queixas que apresentei na anterior consulta -, foram todos satisfatórios, o que levou a Médica a informar-me que a próxima consulta será a última com periodicidade de seis meses, passando as seguintes a serem anuais. 

Não tendo ficado surpreendido, porque como já aqui tenho escrito, sempre senti que o meu cancro se foi com os 25 cm de intestino que me foram cortados, esta informação médica, quatro ano depois da intervenção cirúrgica, deixou-me mais descansado. 

Desejo a todos os que estejam a passar por situação semelhante, de luta contra o cancro, que tenham o mesmo sucesso que eu tive.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 22:11

Segunda-feira, 06.03.17

NOVO TESTE SANGUÍNEO CONSEGUE IDENTIFICAR LOCALIZAÇÃO EXATA DO CANCRO

Um novo teste sanguíneo capaz de apontar o local do corpo onde cresce um cancro, permitindo combatê-lo de forma precoce, é o resultado de um estudo de cientistas da Universidade de San Diego, nos Estados Unidos.

Os cientistas responsáveis pelo estudo procurarão agora levar as suas conclusões para o plano clínico, trabalhando com oncologistas para apurar e refinar este método.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Oncologia, o cancro é a principal causa de morte em Portugal para quem tem menos de 65 anos. Quase um terço (31,7%) dos portugueses que morrem antes dos 65 anos são vítimas de um tumor - a percentagem mais elevada entre todas as causas de morte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 21:36

Quinta-feira, 23.02.17

MAIS CASOS DE CANCRO DO CÓLON DEVIDO AO ABANDONO DA DIETA MEDITERRÂNICA

Há mais portugueses com cancro. Segundo os dados do Registo Oncológico Regional do Sul (ROR-Sul). O cancro com maior incidência é o da mama, seguem-se os da próstata e o do cólon - este último foi o que registou a maior subida por causa dos hábitos alimentares. 

O cancro do cólon passou a ser o terceiro com maior incidência na zona sul do país. Entrevistada pela Renascença, a directora do Registo Oncológico Regional do Sul explica que o aumento do cancro no cólon está ligado à mudança dos hábitos alimentares.

“Nós passámos, na década de 80, 90, de uma dieta marcadamente mediterrânica, para uma dieta de alimentos processado, mais alimentos com gorduras animais, mais consumo de mais carne e menos peixe, consumo de menos vegetais e menos frutas frescas”, descreve Ana Miranda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 12:58

Terça-feira, 24.01.17

“CONVERSANDO...” SOBRE COMO “PREVENIR O CANCRO” NAS NEVES

111020131818-24-CANCRODOESTOMAGO.jpg

A iniciativa da Junta de Freguesia de Nossa Senhora das Neves, concelho de Beja, com o nome “Conversando...” sugere para o dia de hoje, o tema “Prevenir o cancro”.

A partir das 14.30 horas, na Casa do Povo de Nossa Senhora das Neves, os profissionais do Centro de Saúde de Beja explicam o que se deve saber e o que se deve fazer para prevenir o cancro.

A organização desta iniciativa é da responsabilidade da Unidade de Cuidados Continuados, do Centro de Saúde de Beja, da Junta de Freguesia e da Casa do Povo de Nossa Senhora das Neves e do Projeto “Mais Saúde”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 00:21

Sábado, 14.01.17

SOBRINHO SIMÕES ALERTA PARA SOBREDIAGNÓSTICO DE CANCROS MUITO PEQUENOS

1102078.jpg

O patologista Sobrinho Simões alertou hoje que se diagnosticam demasiados cancros que se deviam "deixar sossegados", colocando os doentes num ciclo de tratamentos sem benefícios reais, ressalvando que continua a ser essencial o rastreio precoce.
Falando à agência Lusa à margem de uma palestra promovida pelo International Club de Portugal, Manuel Sobrinho Simões afirmou que "a maluqueira quer de doentes quer de alguns médicos é que está a dar mau resultado", sobretudo nos cancros da tiróide, mama e próstata, "de longe os que têm mais sobrediagnóstico".
"Estamos a fazer diagnósticos de cancros muito pequeninos, que não iam dar chatices" porque não conseguiriam desenvolver-se no tempo de vida restante das pessoas, a maior parte delas idosas, salientou. 
Colocando-as no ciclo de tratamentos como a radiologia, os médicos estão, nesses casos, a "desgraçar os doentes", considerou, defendendo que cabe aos médicos serem razoáveis quando as pessoas os procuram para ir numa "caça ao cancro".
Ler todo o artigo AQUI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Zé LG às 15:08


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728


Links

Informativos

Informativos